quarta-feira, 22 de abril de 2009

Do que nos faz nós mesmos ou porque fazer parte de um projeto como A Produtora?

Há muito venho pensando em colocar meu primeiro post - palavra de blogueiro - no Blog d'A Produtora, empresa que sou sócio fundador e idealizador. Sempre me pareceu uma tarefa muito difícil essa, a de ficar sempre escrevendo para os outros algo que é pessoal, íntimo ou mesmo algo que passe pela cabeça e ache que é interessante compartilhar. Talvez por esse motivo nunca tenha me aventurado por espaços como esses ou por coisas semelhantes da contemporaneidade, como twitters, blips, etcs. Porém, há um certo tempo, também vem crescendo em mim essa necessidade de colocar em caracteres virtuais reflexões sobre o que penso em vários assuntos e vem diminuindo em igual proporção a minha timidez, o medo da crítica, rejeição ou repulsa ao olhar desconfiado dos outros. Ao mesmo tempo, aumenta muito a necessidade de um número maior de posts sobre e d'A Produtora nesse pequeno espaço, já que temos muitos amigos, parceiros e pessoas interessadas em saber nossas reflexões e opiniões sobre o mundo, a vida, o cinema, o cotidiano, música, cultura, literatura, política, mídia, futebol, etc. Essas pessoas também tem a curiosidade e o desejo de saber o que anda passando naquele pequeno espaço com cerca de 35m2 na Savassi, onde 4 jovens passam boa parte de suas vidas e aonde resolveram se aventurar enquanto profissionais. Diante disso, puxei pra mim a tarefa de tentar gerenciar o nosso blog e fazer uma atualização digamos que mais regular de nossas postagens.

Sendo assim, não poderia ser diferente o assunto do meu primeiro post, esse que escrevo agora, senão o Que e Quem Somos Nós e o porque de construirmos um projeto como A Produtora. Quando digo o " que ou quem somos nós", não quero de forma alguma dizer o clichê que todas as organizações atuais no mundo, inclusive nós, desejam estampar em seus sites e em suas cartilhas corporativas. Não, não, de forma alguma, meu desejo é muito mais simplório e reflexivo. O que desejo expor aqui é a minha reflexão sobre o que leva 4 jovens entre 22 e 29 anos a apostarem em uma Produtora Audiovisual como forma de dar sentido a suas vidas, como meio de vida, como meio para se expressarem, como caminho profissional e como estímulo do dever ser no mundo! Sei lá, pode ser que tudo que eu diga aqui seja uma grande bobagem romântica ou apenas a minha visão sobre esse projeto do que é A Produtora, mas acredito que boa parte das reflexões transformadas em letras possa exemplificar as ideias e visões dos meus outros 3 sócios sobre quem somos nós e o que estamos fazendo aqui. Tudo começa, porque deve começar, em Janeiro de 2008. Eu e o Vi Cabral (meu sócio desde os idos de 2005) estávamos saindo de um furacão de emoções e de atitudes práticas que deram cabo de nossa antiga produtora. Com a saída do Luís, grande amigo, nosso sócio mais importante e que estava naquele momento dando rumo a outro projeto de vida ique era nadiável. Tínhamos que resolver o que fazer de nossas vidas e a única solução plausível que tivemos foi a de sair do quadro de sócios dessa antiga produtora e transferí-la a terceiros que tocavam projetos internos da empresa. Os motivos para essa decisão não são importantes para o momento, mas após algumas semanas de reflexão, sentei com o Vi Cabral e com o Vinícius Túlio que na época fazia parte do projeto inicial d'A Produtora e decidimos que nossa inquietude e desejo em continuar produzindo imagens em movimento não poderia parar.

Sendo assim, após semanas sem dormir, refletindo e pensando o que fazer e como formar um novo projeto de empresa, decidimos criar a "Produtora". O nome no início, ainda sem artigo definido me pareceu esnobe, presunçoso e fui inclusive contra essa ideia. No início era pra ser somente assim, "Produtora", daí comprei a briga para que já que era pra ser um nome desses devia ser "A Produtora" e não só o simples "Produtora". Acreditva que o artigo dava um caráter divertido e mais limitador, por mais que pudesse soar como um nome despretensioso, a intenção não era a essa, era somente em ter um nome divertido e que carrega-se em si o jogo de palavras do tipo "o produtor d'A Produtora" ou mesmo como está no nosso CNPJ, "A Produtora Produções Audiovisuais", quase semelhante a um jogo dos 3 tigres tristes. Dito e feito, levamos o nome ao instituto vóxi populis de amigos e o resultado foi muito positivo, todos adoraram, compreenderam a simpatia de nosso nome e a agência que criou nossa identidade visual adorou a ideia. Daí como diriam meus amigos: Fechou! O projeto começava e meio sem ter como voltar atrás. A Produtora na época era formada por mim, Guilherme Penido, o sujeito responsável por dar cara de negócio e cuidar do desenvolvimento de nossos projetos audiovisuais, pelo Vi Cabral, nosso grande diretor criativo e o cara que consegue exprimir em imagem e movimentos todas suas ideias e o Vi Túlio que cuidava de nosso setor técnico e eletrônico. Mas precisávamos mesmo assim de um quarto elemento e como já tínhamos uma boa aproximação com a Jaque, perguntamos se ela encarava a louca idéia de entrar nesse projeto e se poderia agregar suas execlentes qualidades como produtora e publicitária ao nosso projeto. Fomos agraciados com o Sim dela e seguimos em frente com um reorço de peso. A Produtora então começava a funcionar, mesmo sem sala, mesmo sem telefone fixo, cartão ou site, mas com muitas idéias, projetos em andamento e dando continuidade a projetos com parceios que naquele momento incrivelmente surgiam ou já existiam, como era por exemplo, o caso da Curta Minas. No meio desse caminho tivemos a substituição de sócios, Vinícius Túlio movido por outros projetos pessoais decidiu sair do quadro de sócios e como grata surpresa tivemos a chegada do Igor. O namoro do Igor com a produtora nasceu como o que tínhamos com a Jaque, praticamente junto com a gênese do projeto, ele e o Vi já eram parceiros de longa data e o Igor veio pra somar muito, com um perfil criativo de artista audiovisual zen e cheio de projetos novos para nossa empresa.

Fomos assim seguindo em frente, cheios de garra, amor ao audiovisual, vontade de fazer cinema, de produzir vídeos autorais, de produzir vídeos comerciais em qualquer mídia e como está em nosso site, fazer valer nossa ideia de um audiovisual sem barreiras de formato ou suporte. Porque? Porque carregamos em nós mesmos a identidade de uma nova geração que deseja se expressar por meio de imagens e sempre que possível em movimento. Somos da geração que viu surgir a internet e o youtube, a mesma que ajuda a construir um mundo mais democrático, mais inclusivo pela esfera digital e que carrega em si um desejo pela arte expressa por meio do audiovisual. Uma geração que além disso, nasceu sob a influência de ídolos inumeráveis da história do cinema e que acredita que cinema e vídeo são formas de vida e que somente serão felizes se puderem expressar sua visão de mundo por meio dele. Essa inquietude é latente em nós, muitas vezes me assusto com o quão somos, nós 4, semelhantes em muitos aspectos. Somos jovens extremamente sonhadores e que acreditam que o audiovisual transforma tudo. Essa transformação acontece por meio dos vídeos e projetos autorais que mostram nossa reflexão e interpretação do mundo. E passa pelos nossos vídeos comerciais, já que eles sempre são encarados como um grande filme autoral por nós e revelam não só a identidade de nosso cliente, mas também a nossa e carregam em sí essa visão de mundo. Agora, identificar essa visão e interpretação sobre a vida e o mundo já é um trabalho em demasiado complexo, o qual não desejo e não conseguirei esgotar aqui. Mas simplificando o tema, se é que estou permitido, posso dizer que é a materialização de um sonho, da mente, dos desejos, da garra, da história, do pensamento e da filosofia de 4 jovens apaixonados pelo que fazem e que acreditam que o mundo pode ser mais prazeroso e poético, utilizando para isso de alguns quadros por segundo, não ligando nem um pouco se são 24, 25,6 ou 30.

Dessa forma posso dizer que o "que nos faz nós mesmos" ou o porquê fazer parte do projeto d'A Produtora: É fazer parte de um projeto de vida e de um sonho que é muito mais forte do que qualquer um de nós, só se tornando possível de forma coletiva e que esse sonho ainda continua sendo aquele de ter uma câmera na mão, uma idéia na cabeça e assim conseguir mudar o mundo! Esse sonho não é só nosso, é de todos as pessoas que lutam a cada dia por uma vida mais audio e visual. No nosso caso nasceu não há cerca de um ano e meio em uma mesa de café, bem antes também da parceria gloriosa que era formada pela tríplice Luís, Vi e Gui da primeira produtora, esse sonho de ser produtor audiovisual ou cineasta nasce há talvez 20 e poucos anos, quando cada um de nós estávamos brincando em parquinhos e playgrounds de prédios, quando alí começávamos a formar nossa visão de mundo e a entender que a forma possível que teríamos de dialogar com o mundo seria com som e imagens. Sendo assim, a resposta pra mim é bem óbvia à pergunta que fiz em meu título, porque fazer parte de um projeto como A Produtora? Porque Sim! Ora, porque é necessário acreditar, sonhar, fazer, transformar, modificar, expressar, dizer, pensar, ser talvez "a nova cara da produção audiovisual independente" e sim, mudar o mundo ou ao menos tentar.........

2 comentários: